Blender, com glitter

velvet
Postando pro pessoal não achar que não tem nada andando.

Desde que escrevi o último post, aprendi o que precisava de Python para efetivamente resolver as coisas que me afligem no Blender como editor de vídeo. Na quarta-feira passada, não sem alguma ressaca de carnaval, finalmente entendi como se faz um plugin (“addon”, na linguagem do programa) e, até para a minha surpresa, desde então tem sido mais ou menos fácil.

O resultado até agora são 31 novas funções/atalhos que resolvem quase tudo do que me deixava desconfortável. Eu ia fazer um screencast hoje de manhã, porque é mais fácil falar sobre isso mostrando, mas descobri um ou outro bug (já resolvidos) então adiei um pouco. Mas fica o teaser aí em cima. Resolvi chamar o plugin de Velvet Goldmine, afinal, software livre só rola se houver muito glitter. Se não é pra montar e sair na rua, melhor ficar em casa. =p

Ah, e pra que serve fazer essas funções? Tem a ver com o Floresta? Sim, temos um making of para tocar, além das demandas do próximo projeto. Então simbora!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s