Blender, com glitter

velvet
Postando pro pessoal não achar que não tem nada andando.

Desde que escrevi o último post, aprendi o que precisava de Python para efetivamente resolver as coisas que me afligem no Blender como editor de vídeo. Na quarta-feira passada, não sem alguma ressaca de carnaval, finalmente entendi como se faz um plugin (“addon”, na linguagem do programa) e, até para a minha surpresa, desde então tem sido mais ou menos fácil.

O resultado até agora são 31 novas funções/atalhos que resolvem quase tudo do que me deixava desconfortável. Eu ia fazer um screencast hoje de manhã, porque é mais fácil falar sobre isso mostrando, mas descobri um ou outro bug (já resolvidos) então adiei um pouco. Mas fica o teaser aí em cima. Resolvi chamar o plugin de Velvet Goldmine, afinal, software livre só rola se houver muito glitter. Se não é pra montar e sair na rua, melhor ficar em casa. =p

Ah, e pra que serve fazer essas funções? Tem a ver com o Floresta? Sim, temos um making of para tocar, além das demandas do próximo projeto. Então simbora!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s