Pendências técnicas para agosto

Amanhã, saio de férias por 10 dias. O pessoal da produção, Lucas, César e Andressa é que vão tocando o barco, estamos preparando a nossa campanha de crowdfunding e começando a buscar as locações e os atores. O Jayme e a Natália também devem escrever um novo roteirinho para rodarmos. É possível que eles postem por aqui neste meio tempo!

Enquanto isso, quero deixar meio que uma anotação mental de algumas pendências técnicas que pretendo resolver na primeira semana de agosto, assim que eu voltar. Resolvendo-as, podemos nos focar praticamente apenas nas próximas gravações de testes e na produção, rumo ao nosso objetivo: gravar no final de outubro!

O que ainda falta resolver e/ou melhorar:

1. Script 3A: incluir if para o caso de haver uma seção de clips no XML do Cinelerra. Se há, quantos há; a soma para a substituição na variável [0] deve considerar isso para achar a linha correta;

2. Script 3B: deve ser atualizado para ler os valores corretos sobre o tamanho do quadro usado, tanto para os proxies como para o render final. No XML, onde há arquivos .i2l, fazer uma lista com “sort” e “uniq” para determinar qual o tamanho de quadro para os proxies no XML (se houver mais de um tamanho, acusar e terminar o script). No caso do render final, o valor deve ser lido nos arquivos .size dentro das pastas dos DNGs de pós-produção; fazer listagem com “sort” e “uniq” e, caso haja tamanhos diferentes, acusar e terminar o script. Nos dois casos, a leitura deve permitir a informação manual dos valores, usando as variáveis $1 e $2 no terminal, ao rodar o script;

3. Juntar scripts 3A e 3B;

4. Questão da iluminação: (a) determinar ISO nativo da câmera, checar se é realmente 100, como parece; (b) fazer cola para presets de White Balance – a cola deve estar tanto no laptop de gravação como no HD que acompanha a Gjøa; (c) descobrir quais processos de autoWB ainda estão funcionais na câmera para matá-los e/ou desativálos no autocampars;

5. Questão do foco: a questão do foco pode ser resolvida de algumas maneiras, mas precisamos fazer alguns testes para ver qual a mais confiável. Alternativas: (a) usar o programa dofview – checar se cálculos feitos pelo programa correspondem à realidade com trena e objetos de medição de distância; (b) fazer a captura de um frame still em P&B (full frame) na hora da gravação e avaliar foco; (c) fazer um script que ajuda na focagem – seria o caminho mais complexo para a opção ‘b’.

O algoritmo do script seria:
– start camogm record (ver se é possível gravar a um fps menor);
– sleep 1;
– stop camogm record;
– scp no último arquivo gravado para laptop (gerar túnel de ssh, para não precisar de senha);
– ssh no laptop -> movie2dng para extrair 1 frame DNG do arquivo;
– ssh no laptop -> ufraw-batch para converter este DNG em TIF p&b && gnome-viewer no TIF, ou abrir o DNG na hora com o ufraw.

5. Verificar se há uma linha do GStreamer para assistir ao último vídeo gravado na câmera, sem ter que passá-lo para o computador.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s