software livre

Fonte da imagem: Research for a digital cinema workflow under linux

O lado mais brilhante em se usar software livre é a capacidade de transformá-lo no que bem entendemos, adaptá-lo para nossos usos. Podemos trabalhar usando a programação a nosso favor, lado a lado com a equipe de filmagem.

No que se refere a ferramentas prontas, os softwares para edição de vídeo estão já, há algum tempo, bem estabelecidos. No Brasil, conseguimos interligá-los em uma cadeia de produção para definição standard (SD, ou DV) em 2006, e para alta definição (HDV) em 2007. A imagem que vemos acima é um workflow pensado para Cinema Digital, feito ao final de 2010.

Para este tipo de filme, há dois caminhos possíveis a seguir. O primeiro é uma cadeia de produção baseada em Blender, o programa GPL mais completo, bem mantido e de futuro mais promissor. O projeto Kinoraw, de Carlos Padial e Simón Vialás, com sede na Espanha, faz as pesquisas e scripts em Python voltados para esta abordagem.

O segundo caminho é uma cadeia baseada no Cinelerra, o software hoje mais adequado à edição de vídeo, mas com presente e futuro incertos, e usar o Blender como uma ferramenta de pós-edição. Esta é a nossa escolha, por estarmos mais familiarizados não só com o Cinelerra como em scripts em Bash, nossa base para automatizar as conversões entre formatos e para atualizar o XML da edição com proxies para a final.

Todas as questões mais técnicas serão postadas como artigos em outro blog, mais voltado para isso e para a comunidade internacional, embora faremos chamadas aqui quando novos conteúdos forem adicionados por lá.

Anúncios